Tereza Paim

Perfil Tereza Paim

Entusiasta das artes e expressões culturais tipicamente baianas, que inspiram e cercam seu universo, e dona de uma gastronomia consagrada nacional e internacionalmente, a chef Tereza Paim – ela gosta de ser chamada de cozinheira – é inquieta, tem energia e é uma estudiosa dos saberes e sabores da Bahia.

Muito além de uma chef de cozinha, Tereza Paim – que atualmente está à frente do Restaurante Casa de Tereza, no Rio Vermelho, que tem 5 anos–, é reconhecida fora da Bahia como a embaixadora da cozinha baiana, inovando com absoluto respeito às origens. Com perfil empreendedor, é exigente no comando dos seus negócios e tem como lema qualidade e seriedade no seu trabalho autoral. Tereza não abre mão de buscar, junto aos seus fornecedores, ingredientes cada dia melhores perseguindo a máxima do movimento Slow Food: “alimento bom, limpo e justo”. Em paralelo à culinária, com olhar visionário, a chef lidera o movimento Viva o Carmo, aqui a cultura é sagrada! que, com a ajuda de voluntários, vem desenvolvendo ações como o Domingo Cultural, no Convento do Carmo, que tem o objetivo de angariar recursos para o restauro da sacristia toda em ouro da Igreja do Carmo, e reabrir o museu, que contém mais de 2.400 peças de arte sacra, ambos fechados há 22 anos.

No ano passado, a chef participou da primeira edição do Festival Tempero Bahia, pilotando o evento Lounge Dinner Beneficente, no Restaurante do Convento, além de ter recebido a chef carioca Ana Bueno, no Casa de Tereza, que criou o prato De Aninha para Tereza, que está em cartaz no restaurante da chef, que é Diretora Regional Bahia da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança. No Carnaval de 2018 Tereza Paim desfilou pela primeira vez em uma escola de samba, no Rio de Janeiro. Ela esteve em um dos carros alegóricos da União da Ilha do Governador, convidada pela chef carioca Flávia Quaresma, representando a gastronomia baiana, durante o tema Brasil Bom de Boca. Tereza brilhou, com muito samba no pé. Passado o Carnaval, a chef baiana, de Tanquinho de Feira, interior baiano, foi até a China, em uma viagem de descobertas, sabores e negócios. De volta, segue cumprindo uma agenda lotada de eventos, como casamentos e corporativos, além de cuidar do Casa de Tereza.

Sustentabilidade

Com olhos voltados para a gastronomia e para as questões ambientais e sustentáveis, a chef Tereza Paim desenvolve algumas ações no Restaurante Casa de Tereza, no Rio Vermelho, em prol de um planeta equilibrado. O casarão que abriga a Casa de Tereza, onde funcionou uma cantina, foi todo reaproveitado e seu mobiliário é de reuso. No quesito alimentar, todo o óleo usado é transformado em sabão para uso interno. Os acessórios são lavados em máquina, o que permite uma economia anual de aproximadamente 120 mil litros de água boa para o planeta.

Outro item fundamental é o lixo orgânico produzido pelo estabelecimento. Tratado em uma máquina biodigestora, permite que os clientes levem um saquinho desse lixo em forma de adubo para uso pessoal. Todos os equipamentos de refrigeração utilizam gás verde. Criteriosa, opta por escolher os peixes trazidos pelos pescadores da praia do Rio Vermelho, com uma redução acentuada de emissão de carbono por deslocamento. Já os mariscos utilizados pela chef vêm da Ilha de Itaparica, que permite uma pesca sustentável.

 

Os insumos escolhidos e utilizados por Tereza Paim são frescos, os legumes são orgânicos e os ovos de quintal. O azeite de dendê é extraído de modo artesanal e a água é servida na moringa, justamente para reduzir o descarte de plástico e também a emissão de carbono por deslocamento. A coifa da cozinha é biodegradável, o que permite tratar a fumaça antes de lançá-la à atmosfera.

“Estamos partindo para a valorização das nossas raízes em todos os segmentos. É ter orgulho de ser brasileiro e cuidar do nosso país. Isso inclui a gastronomia, entender que comer bem não significa comer coisas estrangeiras, mas a nossa cultura de uma forma benfeita, respeitando ingredientes e técnicas nossas”, defende Tereza.