Alexandre Staut

Alexandre Staut nasceu em Pinhal (SP), em 1973. Na adolescência, mudou-se para Bauru, onde cursou Comunicação Social. Morou na Inglaterra e na França, entre 1998 e 2000, e 2002 e 2006, respectivamente, onde trabalhou como cozinheiro. 

É autor dos romances "Jazz band na sala da gente" (Toada edições, 2010); "Um lugar para se perder" (Dobradura editorial, 2012); do infantil "A vizinha e a andorinha" (Cuore editora, 2015) e do livro de gastronomia "Paris-Brest" (Companhia Editora Nacional, 2016), ganhador do Gourmand World Cookbook Awards e finalista do Prêmio Jabuti e do Prêmio Prazeres da Mesa, em 2017.

Como jornalista, trabalhou em diversos jornais paulistas, como Folha de S.Paulo, Jornal da Tarde e Gazeta Mercantil. É o idealizador e o editor da revista literária São Paulo Review. É cronista do site Vidas Breves.

Na dramaturgia, criou o roteiro do filme "O anjo da guarda de Caio Fernando Abreu". Como ator, participou da peça "Ça Ira", do francês Joël Pommerat e do filme "A moça do calendário", de Helena Ignez (lançamento em maio de 2018). Escreveu para o teatro a peça "Marquesa", sobre Madame de Pompadour, encenada no Festival Satyrianas.

Participou das antologias literárias "Olhar Paris" Organização Leonardo Tonus (editora Nós, 2016); "Revista Machado de Assis, número 6" (Biblioteca Nacional, 2015); Pessoa - Contemporary Brazilian Literature: Special edition for Paris Book Fair 2015 (English Edition); Desassossego: Antologia de contos organizada por Luiz Ruffato (Revista Pessoa) e da Antologia de Literatura Contemporânea Brasileira Formas Breves (editora e-Galaxia).

Em março, lançou o romance "O incêndio" (Folhas de Relva Edições) no Salon du Livre de Paris e na Embaixada do Brasil em Bruxelas. Participou de três edições do festival Printemps Littéraire Brésilien, na França. É autor do livro "Banquete com índios e outras histórias da gastronomia brasileira" (inédito; sobre a formação e a história da gastronomia nacional).